Cuidados com a Marca Empregadora

#

Clientes nunca irão amar uma marca até que os funcionários a amem primeiro.

Simon Sinek

 

A marca de uma organização serve a propósitos valiosos perante o cliente. Ela transmite uma imagem positiva da empresa e de seus produtos ou serviços, representa uma promessa de desempenho, é o pilar sobre o qual construímos a estratégia. Atualmente, na era das grandes marcas em que vivemos, é natural presenciarmos organizações investindo fortunas em suas marcas – seja em dinheiro ou energia. Porém, há uma outro aspecto da marca que acaba não ganhando a devida atenção: a Marca Empregadora.

Embora sejam dimensões diferentes de uma mesma marca, possuem alguns pontos em comum. E por mais que isso pareça estranho, a percepção dos funcionários de uma organização sobre sua marca pode ser muito diferente do que os clientes pensam sobre a mesma. O fato é que a Marca Empregadora é tão impactante e importante para o sucesso de suas ações de gestão e recrutamento quanto sua marca comercial é para os consumidores. Compreender que, tal qual a marca comercial,  a marca empregadora é recheada de aspectos emocionais, é crucial para direcionar sua estratégia de crescimento.

 

Leia também: INBOUND RECRUITING: COMO ATRAIR, ENGAJAR E CONTRATAR TALENTOS PARA A SUA ORGANIZAÇÃO

 

A guerra pelos talentos

Já não é mais novidade que encontrar grandes talentos para preencher as vagas da sua companhia é uma tarefa bastante árdua. Hoje, atrair bons profissionais pede mais do que bônus, vantagens, videogames e uma mesa de sinuca. Os candidatos estão, cada vez mais, realizando pesquisas sobre as empresas antes de se aplicar a uma oportunidade de emprego.

Se você já tentou contratar profissionais de TI, por exemplo, sabe do que estamos falando. Há uma demanda imensa e uma oferta bastante restrita de especialistas na área, o que faz com que os candidatos tenham um grande poder de decisão sobre seu próprio passe. Mesmo que sua empresa esteja trabalhando com inovadoras e empolgantes tecnologias, se esses candidatos perceberem que sua companhia não possui um ambiente saudável ou não estimula as equipes, sinto muito: você já estará em desvantagem na guerra pela contratação dos melhores talentos. Ter uma marca comercial amplamente respeitada e reconhecida não é sinônimo de ser visto como um bom local para se trabalhar.

 

Pense como um candidato

Cada interação entre uma empresa e seus possíveis futuros colaboradores é mais um ponto (positivo ou negativo) rumo à percepção que se forma sobre a Marca Empregadora. Também colaboram para esse processo o contato com funcionários atuais, materiais de comunicação e veiculados na imprensa e os próprios processos de Recrutamento & Seleção e admissão.

Ao nutrir a sua Marca Empregadora com o mesmo cuidado que é dado à sua marca comercial, você estará contribuindo para:

  • encurtar os prazos de recrutamento e preenchimento das vagas,
  • diferenciar sua companhia dos concorrentes e
  • atrair e reter os talentos necessários para cumprir as metas de negócios da sua organização.

Mesmo as empresas localizadas em setores tipicamente mais lentos e conservadores podem se posicionar positivamente nas mentes dos possíveis futuros colaboradores de forma atrativa: como bons lugares para trabalhar, que oferecem oportunidades interessantes, gratificantes e inovadoras. Mas, para isso, é preciso conceber, desenvolver e executar um programa de Marca Empregadora de forma a considerar os anseios desses candidatos.

Pense nas razões pelas quais você gostaria de trabalhar em um determinado lugar: salário, benefícios, crescimento de carreira, flexibilidade, desafios, cultura… Não importa qual o tamanho do seu negócio. Seja grande ou pequeno, é possível oferecer tudo isso. Ouça seus colaboradores e crie um ambiente positivo para todos.

 

Leia também: EVP – EMPLOYEE VALUE PROPOSITION – O QUE É E QUAL A SUA IMPORTÂNCIA

 

Como está a sua reputação como empregador?

Sua Marca Empregadora precisa ser gerenciada com o mesmo afinco que sua marca comercial. E isso envolve monitorar a sua reputação online. Assim como já existem sites com reviews para produtos e serviços, também existem plataformas para avaliar se uma empresa é boa ou não para se trabalhar, como o Glassdoor, ou Lovemondays no Brasil.

Se você acabou de entrar em um desses sites e percebeu que sua avaliação como empregador não anda boa, não se desespere… Mais efetivo é buscar entender os motivos e agir para consertá-los. Entenda que essas avaliações podem ser utilizadas como insumos para avaliar processos e políticas da organização. Talvez, seja hora de falar com a diretoria sobre os resultados obtidos. Não pressuponha que apenas ex-funcionários insatisfeitos são responsáveis por aquelas impressões. Pode ser que isso seja verdade, mas que também haja muitos problemas reais ali relatados.

Seus colaboradores atuais têm o poder de influenciar sua Marca Empregadora. Por isso, certifique-se de que também está dando a devida atenção a eles – a Marca Empregadora e tudo o que ela envolve também os engloba. Realizar pesquisas para monitorar o clima e conhecer os pontos fortes e sensíveis da sua reputação pode ser um bom começo. Mas igualmente importante é agir rápido após esse trabalho. Uma vez que a iniciativa se inicia, as expectativas de melhoria começam a surgir, e precisam ser correspondidas. É preciso planejar e desenvolver ações e medidas viáveis para solucionar os problemas mais frequentemente mencionados. Esteja consciente de que a experiência do colaborador é a base para a experiência que a sua empresa oferece aos seus clientes.

 

Está se perguntando quem é responsável por tudo isso?

Bom, quando pensamos em processos de Recrutamento & Seleção, pensamos na área de Recursos Humanos – e é claro que ela está envolvida em tudo isso. O RH sempre procurou desempenhar um papel mais estratégico na organização e defender a Marca Empregadora é um movimento bastante positivo nessa direção, pois levaria o negócio a um próximo nível. Além disso, este é o departamento que cuida da estratégia relacionada a pessoas, logo, é fundamental que esteja envolvido. Mas os impactos da Marca Empregadora vão além de departamentos, podendo afetar toda a organização e interferindo na execução da estratégia planejada. A importância da Marca Empregadora é especialmente destacada quando a sua empresa busca o crescimento.

 

 

Fontes / Referências:

Attract Talent With A Strong Employer Brand – Forbes

Who is taking care of Employer Brand in your organisation? – THRive in Asia

Why your employer brand matters to recruiting – Randstad

Escrever um comentário

Você precisa estar logado pra postar um comentário.