Conheça 4 práticas das empresas com maiores taxas de crescimento

#

Após dois anos de estagnação nas taxas de crescimento das organizações prestadoras de serviços, em 2017 essa média ainda caiu um ponto percentual, passando de 10,2% para 9,1%. Ou seja, como já sabemos, o mercado não anda muito favorável. Porém, se olharmos com mais cautela e profundidade, veremos que, mesmo em um cenário árido como este, há um segmento de companhias que têm um índice de desenvolvimento significativamente alto, com taxa média de crescimento anual igual ou superior a 20%.

 

Estamos falando de empresas que evoluíram quatro vezes mais rápido do que as de crescimento mediano. Mas o que essas companhias fazem? Quais as práticas que impulsionam esses números e as diferenciam no mercado?

 

A Hinge Research Institute estuda o desempenho e as ações de marketing de organizações prestadoras de serviços profissionais. Os resultados e principais insights dessa análise compõem o Report High Growth Study – All Professionals Services Edition, agora em seu terceiro ano de publicação.

Para a edição 2018, foram pesquisadas mais de mil corporações de serviços profissionais, de micro a grande porte, das áreas de Saúde, Recursos Humanos, Serviços Jurídicos, Marketing e Comunicação, Tecnologia, Arquitetura, Engenharia e Construção, Consultorias, Contabilidade e Finanças. Essa amostra representa uma soma de mais de 176 bilhões em receitas combinadas, mais de um milhão de funcionários e mais de 20 bilhões em budgets de marketing.

Trata-se de uma porção bastante significativa e que vale a pena ser analisada. Então, vamos aos principais resultados dessa pesquisa para verificar o que as organizações que mais crescem no setor vêm fazendo de forma diferente:

 

1 – São empresas que antecipam futuras ameaças

As organizações de alto crescimento veem o futuro próximo (período de três a cinco anos) de forma diferente das que não registraram crescimento.

Segundo a pesquisa, a preocupação número um das companhias que ficaram estagnadas foi a escassez de talentos (56,9%). Já as de alto crescimento estão mais focadas em ameaças como:

  • Aumento da concorrência de novas empresas (47%);
  • Imprevisibilidade no mercado (41%);
  • Maior competição de concorrentes maiores (38,6%);
  • Pressão pela baixa dos preços (37,3%);
  • Escassez de talentos (33,7%).

 

2 – São empresas que têm estratégias diferentes para lidar com as futuras ameaças

Os entrevistados foram solicitados a identificar as estratégias que acreditam que precisarão empregar para lidar com essas futuras ameaças à sua organização ou indústria.

As empresas de alto crescimento são mais propensas a:

  • Fazer pesquisas sobre seus clientes-alvo (56,6%), sendo que 43% dessas organizações o fazem pelo menos uma vez ao ano;
  • Oferecer melhores treinamentos – em habilidades de desenvolvimento de negócio (55,4%), em habilidades de comunicação e gerenciamento de clientes (53%) e em habilidades técnicas (34,9%);
  • Concentrar mais esforços na contratação de profissionais mais bem preparados (30,1%).

Para se ter uma ideia, apenas 45,1% das organizações sem crescimento fazem pesquisas com seu público-alvo. Elas preferem direcionar suas estratégias para contratar novos talentos (45,1%), entrar em novos mercados (39,2%) e mudar sua estrutura de preços (21,6%).

 

Leia também: COMO E POR QUE MEDIR A SATISFAÇÃO DO CLIENTE EM MERCADOS B2B

 

3 – São empresas altamente especializadas

Essas organizações mostraram uma grande preocupação em ser realmente experts naquilo que fazem. Os respondentes tiveram que avaliar o nível de especialização da sua corporação em cinco diferentes dimensões:

  • Oferecer serviços especializados (33,7%);
  • Ser especialista em resolver problemas específicos (33,7%);
  • Ser a especialista da indústria (28,9%);
  • Ser especializada em servir a um papel específico ou função organizacional (22,7%);
  • Uso especializado de tecnologia (18,3%).

 

4 –  São empresas que investem mais em marketing

Instituições de alto crescimento estão investindo mais em marketing – em alguns casos, muito mais: uma em cada cinco companhias está direcionando 20% de sua receita para o orçamento de marketing – menos de 5% das corporações sem crescimento estão fazendo esse tipo de aposta.

Veja como elas investem de forma diferente no marketing tradicional:

Leia também: 6 ESTRATÉGIAS EFETIVAS PARA A PROSPECÇÃO DE CLIENTES B2B

 

Elas também têm dado maior atenção ao marketing digital e ao content marketing, com investimentos 25% mais altos a partir de ações como:

  • Publicação de Posts em seu site (21,1%);
  • Desenvolvimento de Estudos de Caso – tanto escritos quanto em vídeo (15,6%);
  • Campanhas de E-mail Marketing (15,2%);
  • Webinars (13,6%).

E, consequentemente, os resultados digitais também são de maior impacto. As técnicas de maiores resultados são o vídeo blogging, com 22,2%, e os anúncios digitais, com 18,2%. Aparentemente, essas organizações saem na frente quando se trata de mostrar suas expertises em múltiplos canais.

Quando questionados sobre quais suas prioridades de marketing para 2018, o aumento da visibilidade foi a maior prioridade, identificada por quase dois terços dos entrevistados:

  • Aumentar a visibilidade da nossa empresa no mercado (63,6%);
  • Atrair novos negócios / gerar mais leads (54%);
  • Diferenciar nossa empresa da concorrência (52,7%);
  • Criar conteúdo para marketing digital (45,2%);
  • Atualizar nosso site (36,4%).

 

O objetivo deste estudo é, de fato, proporcionar uma comparação, pois ao colocar lado a lado as práticas de uma empresa de baixo e alto desempenho, é possível entender o que é necessário para construir organizações com mais visibilidade e maior crescimento. As descobertas de 2018 devem ser de particular interesse para as companhias que desejam impulsionar seus programas de marketing e crescer com mais vigor.

 

Leia também: O QUE FAZ UMA EMPRESA DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS SE DESTACAR E CRESCER MAIS QUE AS OUTRAS?

 

Fonte / Referência:

EXECUTIVE SUMMARY – 2018 HIGH GROWTH STUDY – All Professional Services Edition – Hinge Research Institute

Escrever um comentário